Fevereiro 2012

Peso certo em gramas!

por Nuno Ribeiro » 16 fev 2012, 19:15

Na RTP costuma dar o “Preço certo” mas hoje na minha pescaria foi mesmo um peso certo e ganhei a montra final

Começando pelo princípio… 6 a.m. toca o despertador e como o dia não começa bem sem um fax, aqui vou eu com o pc para a casa de banho ler as notícias do dia e ver o que há de novo no PCA.

Foi então que vi o relato do Bruno Martins, que me deixou um pouco triste e com sentimentos contraditórios de constrangimento pela delicada situação e vontade de pescar por ver uns peixinhos.
Vi a amostra que fez os peixes dele e lembrei-me que a tinha deixado na garagem, e não a tinha colocado na minha bolsa.
Assim apronto-me, como qualquer coisa e fui à garagem trocar uma saltiga 14 que tinha no saco por aquela…
7 a.m. 2ºC. já estou na praia em direcção à água para a busca aos peixinhos…
Olho para o mar e reparo logo em barcos a colocar as suas redes a uma distância regulamentar da costa, mas ainda assim via-se que tapavam a costa toda.
Pensei “se aqui andar algum é peixe que passeia pela costa”.
O mar estava com ondulação um pouco maior que o previsto e águas tapadas mas não esmoreci, trabalhava bem e não havia vento!

Comecei a dança das amostras com a Hirame mas faltava-me um pouco de distância… olhei para a bolsa e sai a saltiga 17 brown back que tinha lá colocado por causa do Bruno.

Meia dúzia de lançamentos e ZZZZZZZ zzzZZZZZZZZ carreto a cantar, umas boas cabeçadas e o peixe bem trabalhado para não o perder na última rebentação e assim veio cá parar fora!

Era o meu Record até aquela altura… um peixe lindo:

nuno ribeiro robalo 2kg

Pesou 2 Kg certos (lá está o peso certo)Estava tão feliz que liguei à minha mãe para lhe contar… eram umas 7h30 da manhã e ela na cama

Bem a pescaria continuava, apesar de feliz, decidi não parar por ali… ainda era cedo e o peixe do Ricardo há uns dias vinha-me à memória, o meu subconsciente dizia-me para insistir!

Continuei a andar em direcção a norte e um pouco depois tive uma experiência que nunca tinha tido… sinto um toque, cravo, mas o peixe não fica!

Continuo a recolher e duas maniveladas depois o peixe volta a atacar e desta vez fica!
Uma luta engraçada e, apesar de não ter aberto o carreto, deu uma luta engraçada sempre às cabeçadas na escoa!

Era um robalinho de 40cm que regressou ao seu habitat para crescer e continuar a tentar escapar das múltiplas redes que estão nas praias!

A caminhada para norte continuava… comecei a variar de amostras em locais com um pouco mais de profundidade e com maior ondulação na costa até que cheguei a um fundão com um banco de areia fora a fazer “aquele” espumeiro!

Precisava de algo que lançasse mais… e volta a saltiga 17 brown back! 2 ou 3 lançamentos e de um momento para o outro uma trancada forte…… cana ao alto e começa a levar linha. “WOW O QUE É ISTO?!”
Pensei em voz alta… ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ até que o peixe vem à tona ainda longe.
Não consigo descrever a concentração de epinefrina que me corria nas veias… senti o coração a disparar, um calor súbito a tomar de assalto o meu corpo enregelado, tremores incontroláveis…

Não sei como melhor descrever o momento em que avistei o peixe à superfície.

Uma coisa é certa apesar de tudo consegui manter a calma, fechei um pouco mais o drag e trabalhei o peixe até chegar perto da rebentação…

Algumas corridas laterais dele fizeram-me ir precisamente para onde eu não queria, onde o mar batia com mais força e a parede de areia era mais vertical.
Abri um pouco mais o drag à espera das últimas corridas do peixe e esperei por uma onda adequada para mo trazer, assim que a avistei fiz o pressing e ele veio a rolar areia acima.
“Está quase” pensei. Mas enganei-me, assim que começa a escoar a onda, o peixe arranca em direcção ao mar e fez a derradeira corrida… levou à vontade uns 20m de fio.
Voltei a fazer o mesmo e trouxe-o finalmente até terra numa onda maior.
E quando pensava que já estava… desferra-se “NÃOOOO!!!” atirei a cana para cima e lancei-me para cima dele…
Assim que o agarro uma onda dá-me um banho, mas o meu prémio estava seguro entre as minhas mãos, já não saia dali!
Agarrei nele e gritei, esbracejei e chorei… uma alegria maior que uma criança no dia de Natal!

Não cabia em mim, tremia, gritava… sei lá o que me passou pela cabeça naquele momento… estava sozinho, só me faltava correr nu pela praia
Sentei-me ao seu lado e a tremer contemplei tão nobre adversário

nuno ribeiro robalo 5kg

Após alguns momentos a sós com ele, decidi partilhar a minha alegria… liguei ao meu avô, a pessoa que me iniciou na pesca e ficou tão contente como eu.

Liguei ao meu pai, à minha mãe e ao Rui Coimbra que passado um bocado me mandou uma mensagem a dizer “Já me deixaste doente para o resto do dia”

Decidi dar por encerrada a jornada… estava feliz, não era preciso mais nada! O material também já não se encontrava em condições… hoje vai levar revisão.

Portou-se lindamente… finalmente foi posto à prova e passou com destinção.
Fiquei admirado com a capacidade da cana em trabalhar um peixe daquela dimensão “com uma perna às costas”!
Tem uma reserva de potência fenomenal… E o carreto, apesar de ser em CI4, não cedeu nem um mm!
Apenas um reparo para a baixa velocidade, a certa altura o peixe arrancou na minha direcção e vi-me grego para o acompanhar.
No geral agradou-me e deixou-me confiante para futuras batalhas…
Mediu 75cm e pesou 5kg adivinhem… certinhos  era maior que o que eu pensava.
Bati o meu record por 2 vezes na mesma jornada…
Por tudo isto agradeço-te Bruno pela “dica” que me deste com o teu relato.
E peço desculpa ao Ricardo por o ter acusado de ter levado o peixe que eu tinha encomendado para depois dos exames… afinal ele ainda cá estava

Abraço e obrigado PCA por me permitires ter um dos melhores momentos da minha vida!!!!

Ficha Técnica:
Cana: Major Craft Zaltz Sea Bass 9’g M
Carreto: Shimano Rarenium 4000 FA
Linha: Power Pro 0,19
Terminal: Seaguar Ace 0,37
Clips: Hiro SS Snap

Amostra: Daiwa Saltiga 17 Brown Back

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *