Janeiro 2012

Do sonho à Realidade! Noite de Gala…

por Rui Almada » 20 jan 2012, 00:32

Olá a todos.

Quem não chora, não mama…já dizia o outro!
Tenho andado com pouca sorte. Muitos peixes ferrados, alguns de bom porte, mas infelizmente, nada de capturas!

Farto do azar, mas sempre com vontade de pescar, à procura da sorte, decidi rumar a terras do sul, com o meu amigo Luís Malabar do blog ospescas.

Tinha saudades de dois pesqueiros de eleição, pouco ou nada conhecidos, que já nos deram algumas alegrias em tempos. São dois pesqueiros que funcionam com mares grandes. Aproveitámos o fim de semana de mar grosso e fomos a eles.

Chegados ao pesqueiro. Praia do Chico, nome de nossa autoria. Spot deserto na maioria das vezes, por ser uma zona com demasiada pedra, onde não é fácil pescar, só mesmo conhecendo aquilo!

20h e toca a pescar!
Apesar do bom aspecto do mar, durante 1h 30 não sentimos nada.
Mais para a noite, lá para as 22h é que começámos a sentir uns toques.
Decidi mudar de sítio, numa zona de águas menos profundas. E passados alguns minutos ferro o primeiro!
ZZZZZzzzzzzzzzzzzzzzz…zzzzzzzzz…
– ” AAuuuuuu ó Luís ajuda aqui, vai buscar o chalavar, que este já é bom!”

– ” É preciso?”
– ” Sim porra, traz isso!”
Estava eu a trabalhar o menino, e quase a encostá-lo à pedra, quando reparo que o Luís está ao meu lado sem o chalavar!
– ” Este vem para cima!” diz eleQue remédio…sem outra hipótese, iço o peixe, na casa dos 2 kilos, mas o malandro desferra no ar e caí ao mar…-“Nãããoo!!!”
Mas será que este azar não vai embora…?!- “Porra Luís, arranjei um chalavar para não passar mais por isto!”
– ” Tens razão amigo, o próximo peixe que apanhar, tenha 1 ou 10 kilos ofereço-te!”
Eu continuei a resmungar durante um pouco…

2 ou 3 minutos passados. Faço um lançamento para a mesma zona e ferro outro!
ZZzzzzzzzzz…Zzzzzzz…Senti que era bom, mas nada de tarolo, já nem pedi o chalavar, um com quase dois quilos, mas bem ferrado. Trabalhei o menino à minha maneira e desta vez lá o consegui içar e facilmente o meti a seco!

Tinhamos dado com eles!
Vamos lá pescar!
O Luís passado pouco tempo ferra um! Trabalha o peixe, como ele sabe fazer tão bem e começa a trazê-lo até nós.
O sacana pede-me o chalavar!!! Sacana!!!
Sorrindo lá atendi e meti o peixe no cesto!
– ” Este é teu!” – disse ele
Era um macho bonito com quase 3 kilos.

Não fiquei com o peixe obviamente! Queria era pescar! Mas ainda levou comigo!
– ” Então, afinal já dá jeito o chalavar não é?”

Eles andavam ali, e aquilo prometia festival!
O tempo foi passando com toques sucessivos e alguns tarolos ferrados, que acabavam por desferrar, uma animação brutal que nos deixava cada vez mais excitados com aquilo que ali se passava!
Só visto mesmo!
No meio disto ferro um!
Zzzzzzzzzzzz….zzzzzzzzzzz…”aauuuuuu é bom ó Luís, traz o chalavar!”
Peixe de bom porte, teimoso, a não querer ceder!
Mas mais teimoso sou eu, e apesar do meu nervosismo, por andar a perder demasiado peixe, consegui trabalhar o malandro e trazê-lo quase até nós!
Esperei um pouco pelo mar, fui deixando a cana trabalhar, cansei o bicho…quando percebi que estava na hora, tranquei o carreto e aproveitei as ondas que lá vinham.
– ” Hoje já não me dão baile!”
Com ajuda do mar, trouxe o peixe calmamente até onde o Luís esperava por ele de chalavar na mão.
Já cá canta! Peixe na casa dos 3,5 kilos!
A MINHA ALEGRIA ERA ENORME!
O enguiço estava finalmente quebrado!

Toca a pescar novamente!
Eles andavam ali a montes e só nós a pescar, uma adrenalina enorme ferfilhava dentro de nós!O cemitério de amostras, não tardava a reclamar uma vítima e lá ficou uma amostra novinha numa pedra!
– ” Tenho ali outra igual, não há azar!”
Coloco novamente outra igual e toca a lançar!De repente oiço o Luís a chamar pelo chalavar e noto que a sua cana está toda vergada!
Procurei o malandro no mar, consegui vê-lo e posicionei-me de chalavar no sitio certo. Este não queria entrar no cesto, mas hoje a noite era nossa!
Ele fez o trabalho dele e eu o meu, e mais um peixe de 3,5 kilos que estava a seco!É DÍFICIL EXPLICAR POR PALAVRAS O QUE SE ESTAVA A PASSAR ALI!
A alegria era tanta, que sentir um tarolo agarrado à amostra, mas que na luta ele desferrava, era motivo de risada e não de frustação! Estavamos a ter uma noite “daquelas”

Depois de continuar a sentir toques sucessivos, muita risada pelo meio, acabo por levar uma trancada na cana que me deixou sem palavras!

Acabou-se o riso…desta vez era a sério!
Zzzzzzzzzzzz….Zzzzzzzzz…ZZZzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz…vi logo que era um animal de respeito!
Um tarolo no outro lado da linha lutava pela vida, mas farto de perder batalhas ando eu!
Muito concentrado e sem risos, começo a tentar trazer o menino, mas ele não queria…não queria mesmo!

ZZZZZZZZZzzzzzzzzzzz…ZZZzzzzzzzzzzz…estava parvo com a força do menino…que sensação!
Estava com medo das coisas não correrem bem, pois era um bicho enorme de certeza, e pedra era o que não faltava por aquelas bandas!
Tentei manter a calma, fiz o melhor que soube…O Luís ria à gargalhada enquanto eu estava a tentar concentrar-me!
Era o tudo ou nada, o mata-mata como dizia o Scolari…
Estava feliz por estar a passar por aquilo, mas o peixe tirou-me o sorriso, não havia vontade de rir, mas sim de trabalhar, para não voltar a perder uma batalha de peso!

– ” Onde está o gajo?” – perguntava o meu amigo
– ” Não sei Luís, mas já está perto!”
Avistámos o menino!
O Luís foi dando umas dicas preciosas, e com sorte e alguma ajuda do mar, consigo fazer o malandro passar a primeira barreira de pedras e encestá-lo!
QUE SENSAÇÃO!
Olhar para aquele menino ali deitado…que noite meu Deus!
5 kilos de puro prazer que deixaram as fateixas e argolas neste estado…todas torcidas e partidas…VMC nº 1

rui almada robalos 1

Meu rico chalavar precioso! Sem ele a noite tinha sido bem diferente!Aquilo não poderia continuar por muito tempo, o peixe ia acabar por ir embora!
Enquanto mudava de fateixas e argolas à minha princesa, o Luís chamava por mim!
Fui a correr com o caça borboletas na mão porque já sabia o que se passava!
Mais uma vez correu bem…e estava outro peixe de bom porte a seco!Acabei de preparar a princesa e toca a lançar novamente.
Mas esta tinha o destino traçado! Depois de poucos lançamentos o clip abriu nas rochas e sem reparar, ao lançar, perdi a amostra!
Duas amostras novinhas para o cemitério!- ” Porra!”
O meu amigo percebeu o que se tinha passado e sacou da mala uma amostra igual, novinha, e disse-me para continuar a pescar!

Quando reparámos nas horas…eram 1h da manhã!
O festim parecia ter terminado…

Respirámos fundo…começámos a acalmar…
Lá fumámos o nosso cigarro, conversámos…e decidimos ir comer e voltar!
5h da manhã…lá estávamos nós a pescar.
Mas não andava ali peixe!

Rumámos a outro pesqueiro ali perto. O Jardim do Éden…

Esperámos pelo amanhecer…e ZZZZzzzzzzzzzzzz…….ZZZZzzzzzzzzz………..começa a música!
Pouco tempo depois estava o Luís com peixe agarrado à amostra!
INACREDITÁVEL, DEMOS COM ELES OUTRA VEZ!
A palavra de ordem era Chalavar!
Lá fui eu em seu auxílio e meti o malandro no cesto!
Mais um peixe com 3 kilos e tal…

Agora era a minha vez!

E assim foi…peixe cravado…alegria imensa…palavra de ordem proferida e peixe no cesto!
2 kilos e muito…

Já a morrermos de sono e muito cansados, pois eram 10h da manhã começamos a falar em ir embora.
O Luís ainda teve tempo de tirar mais outro de 3 kilos e tal…

Decidimos dar por terminada a pesca.

Meu Deus que jornada…é impossível contar com palavras o que aconteceu a dois pescadores solitários naquela noite!

Companheiros…estava morto de cansaço, mas com uma felicidade imensa dentro de mim!
O enguiço estava quebrado!
Passei do inferno ao céu, sem dar por isso!
Trocámos abraços, falámos sobre os momentos que vivemos!

Foram muitas horas a pescar. Uma pesca dura, com direito a tudo! Banhos, frio gélido, tarolos desferrados, mil toques, alguns peixes de bom porte a seco, amostras para o cemitério, abraços, alegria…único!

Já estava a precisar de uma noite destas para levantar a moral…

Os meus peixes no pesqueiro Jardim do Éden

rui almada robalos 2
rui almada robalos 3

Machos excitados dá nisto…

rui almada robalos 4

Companheiros do PCA…desejo num futuro próximo que todos tenham uma noite assim!
Insistir e nunca desistir…pode ser que a sorte apareça!
Ficha Técnica:

Cana: Shimano Diaflash 3,60

Carreto: Shimano Symetre
Linha: Vega Potenza 0,22
Terminal: 0,46

Amostras: Lucky Craft 130 e Rapala MaxRap

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *