Janeiro 2013 (2)

Ida ao riacho

por João Mota » 15 jan 2013, 20:21

Boa noite malta dos plásticos, metais, borrachas e mosquedo! Tenho andado meio arredado do mar, as bicudas agradecem…mas, tenho sentido o chamamento da agua doce cada vez mais forte…até tenho medo do que a minha cara metade dirá se daqui a uns tempos me presentear com alguma coisa…a ver vamos. Tenho aproveitado algum tempo livre e bom tempo para me deslocar à câmara de descarga que já vos mostrei, e o resultado tem sido o mesmo…grade! Elas andam lá que eu vejo-as, quer no fundo, quer a comer à superfície, mas não querem nada comigo…ainda não domino nada a arte de escolher os mosquitos…penso que um dos problemas é a agua tão cristalina e o céu aberto por trás de mim…mas o tempo o dirá. Ontem estava cheio de dores nas costas e chateadissimo pois hoje estava de folga e pensava ir fazer a minha estreia num riacho…pesca à pluma a sério! Mas as coisas estavam a ficar tremidas…lá me deitei e mamei um comprimido milagroso…pus o despertador e rezei para que quando acordasse estivesse melhor.

Lá me custou a adormecer, e mais a acordar…o comprimido tinha feito o seu efeito e estava com dores bastante suportáveis…era dia! La me levantei e fui cortar o cabelo…tinha de fazer uma estreia em grande e não queria ir mal arranjado. Como qualquer coisa e fiz-me à estrada. O destino era um vale largo, 500mts acima do mar e que no seu principio corre um riacho, o vale esta cercado por montanhas altíssimas, que se elevam ainda mais 200, 300, 500 metros…é um espectáculo digo de se ver. E respira-se uma paz que alivia qualquer maleita! Chego, observo que o riacho onde estou não tem qualquer agua e fico a pensar…enquanto me vou equipando chega alguém, um trabalhador ou o dono da criação de trutas que ali se encontra, sigo ao se encontro e após os cumprimentos da praxe pergunto se o riacho vai seco e explico ao que vou. Ele lá me diz que agua só mais acima, as trutas serão pequeninas e que tinha visto pouco antes 3 pessoas a vir de lá e também pescadores, agradeço, dou um sorriso (penso para mim que tá tudo lixado) e lá digo que não faz mal, eu queria era tirar umas fotos…lá me afastei a pensar que a haver trutas e a presença de pescadores apontava para que sim, estariam assustadiças e como maçarico que sou estaria lixado. Aponto agulhas ao objectivo e sigo pelo caminho.

joao mota trutas 2

joao mota trutas 1

Depois de uns 10 minutos a andar chego a uma pequena represa que desvia a agua do ribeiro maior, possivelmente para os viveiros, monto o material e começo a pesquisa, era a isto que vinha e elas andam cá!

joao mota trutas 3

Tento perceber os cursos de agua, onde poderiam estar as ditas e como me poderia posicionar para ser o mais invisível possível…e isto de ser invisível para um gajo do meu tamanho tem o que se lhe diga…Felizmente o que não faltava era pedras do meu tamanho e sítios para me esconder,e lá tinha de lançar por cima delas para chegar à poça mais à frente.

joao mota trutas 5

Os lançamentos corriam bem e após alguns ataques falhados lá vinha a primeira, já sabia que iam ser pequeninas, mas nada me importava e teve o mesmo tratamento de respeito que teria um lírio de 20kg. Estava extasiado!

joao mota trutas 6

Noutros locais conseguia ter um maior espaço de manobra, não muito, mas o suficiente para me agachar, pôr-me de joelhos ou mesmo sentado e assim lançar, lançamentos esses que por vezes era praticamente só o leader pois as árvores ameaçavam e as poças por vezes eram mínimas.

joao mota trutas 4

As capturas, essas, iam-se sucedendo para minha alegria, nem queria acreditar na vida que este pequeno curso de agua tinha, com uma adams na ponta do tippet ia-me divertindo à grande tendo mesmo encontrado uma de maior tamanho, essa já com uma adams parachute pois a anterior tinha ficado presa num ramo a meio de uma poça.

joao mota trutas 8

joao mota trutas 11

joao_mota_trutas_9

Chego então à maior poça que encontrei, era a ultima para mim, pois as horas apertavam para o fim da tarde e para passar esta ia ter de molhar bem os pés. Cheguei de mansinho com o mínimo de barulho possível e observei enumeras trutas a comer à superfície, estava entusiasmado, que mais poderia querer um noviço destas lides! Que melhor visão que esta!

joao mota trutas 7

Tiro uma boa quantidade de fio do carreto e começo a lançar, frente trás, frente trás, tinha espaço bastante para trás e estava à vontade, sentado no chão para diminuir a silhueta. Lanço e consigo um lançamento quase perfeito, pelo menos tão perfeito como pode ser um lançamento de quem não percebe patavina disto… Mal cai na agua vem um ataque e “fish on” como dizem os camones! Não era grande mas fez pela vida! Lá a consigo trazer e a foto da praxe!

joao mota trutas 10

Com a luta desta as coisas ficaram mais paradas e as trutas deslocaram-se para o fundo da poça…para lá chegar tive de fazer valer as dezenas de horas que passei no youtube a ver o doble haul…e apenas tirei outra mais pequena. Estava na hora de regressar, tinha-me divertido como nunca numa sessão de pesca, tirei ao todo umas 10/15 trutas e falhei ainda mais ataques, mas que interessa isso! Tinha vindo intrometer-me num sitio magico e maravilhoso, quase que fiquei invisível e consegui sair de lá deixando o sitio como estava, magico e maravilhoso. Nenhuma morte feita e já nem me lembrava das dores que tinha tido ontem.

Conjunto Caperlan Fly 100
Leader rio powerflex 9′ 5X
Tippet rio powerflex 5X
Secas adams e adams parachute
Pescador:João Mota
…e muita vontade…

Abraço a todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *