Maio 2016

O meu primeiro Robalo no Spinning
por Filipe Alves» 02 mai 2016, 01:07

Boas a todos. Abro este post para relatar a minha primeira pescaria com o pessoal do PCA e também a minha primeira captura de um robalo ao spinning.

O tão esperado dia 23 de Abril de 2016 chegou. Estava de regresso a casa, coisa que não acontecia desde Dezembro de 2015, por volta da época natalicia. A ansiedade era grande, pois para além de voltar a ver a familia e os amigos, iria haver pesca ! E desta vez com um tónico especial : pescar ao spinning com malta do PCA. A noite de sabado 23/4/2016 para domingo 24/4/2016 não foi uma « noite em branco », mas esteve lá perto. é verdade que ainda estava em ritmo « nocturno » devido ao meu trabalho, mas não foi apenas isso que me tirou o sono. É que no dia seguinte havia pescaria, com o spinning como pano de fundo, e a ansiedade lá apareceu. Para quem tinha de se levantar por volta das 4 horas da manhã e ainda ouviu « bater as 2 horas » a noite foi curta.

Mas as 4 horas la estávamos nós de pé (eu e o meu pai). A carrinha ja estava carregada de véspera. Foi só preparar as sandes, umas minis e umas águas e lá fomos nós. O que isto me fez lembrar quando era pequeno e ia à caça e à pesca com o meu pai ao fim de semana. Aquela sensação… Único! Chegados ao local marcado, la estavam os amigos do PCA, o Ricardo Garcia, André Dimas e Luis Freitas à nossa espera. Feitas as tão aguardadas apresentações, umas trocas de ideias, e seguimos para o areal. O meu pai não quis começar logo pois ainda era de noite, e era o seu PRIMEIRO dia no spinning. Começámos então os 4 (eu, o Ricardo, o André e o Luis) a fazer lançamentos para uma mar relativamente calmo e com águas abertas. Ao inicio da pescaria o Ricardo manteve-se sempre ao meu lado e lá me ia transmitindo conhecimento e ajudando nesta fase inicial (tal como ao meu pai).

Depois mais para a frente também o André e o Luis foram ajudando e aconselhando, tanto a mim como ao meu pai. Foi um dia muito bem passado, com direito a umas aulas de spinning por parte do Ricardo, André e Luis, a quem muito agradeço (e o meu pai também), mais uma vez. Tanto eu como o meu pai ficámos a ganhar com os primeiros ensinamentos. Os Robalos, esses infelizmente não quiseram nada comigo e com o meu pai. Apenas umas pedras que estavam “gulosas” me prenderam as amostras, sendo que as mais “bem presas” fora salvas pelo Ricardo e André. Mas o convívio, a companhia e o espírito de camaradagem foram o mais importante. Mas o « bichinho do spinning ficou a morder » como se costuma dizer. Quanto ás capturas feitas nesta manhã, o Ricardo ja se encarregou de meter um tópico sobre isso.

(Imagens da excelente manhã de pesca passada na companhia do meu pai, Ricardo, André e Luis)

Seguiram-se 2 saídas de barco para uma pescaria fundeada com o meu pai, para matar saudades. Na quarta-feira dia 27/4/2016 combinei com o meu pai em voltar ao spinning. Tínhamos de tentar a nossa sorte antes de regressar à Suiça no dia seguinte. A noite foi mais tranquila e repousante. A hora marcada la estávamos de pé. Seguimos de novo caminho e lá chegamos ao local. O dia estava a começar a abrir. O mar mais agitado que no domingo anterior, água mais fechadas.  Começamos os lançamentos. Passado mais ou menos uma hora de lançamentos sem sucesso com algumas amostras rigidas/jerkbaits, e visto que tinha alguns vinis comigo,pensei : « porque não testar os vinis enquanto a água esta mais alta ? . É que no domingo nem os cheguei a usar ». E toca de lançar o vinil para a àgua.

Após alguns lançamentos, talvez não mais de 5 ou 6 (mas não me recordo ao certo) sinto uma pancada, algo que ainda não tinha sentido antes. Primeiro pensei que tivesse prendido a amostra em mais uma “pedra gulosa”. Mas o vibrar da cana e o drag do carreto, assim como a silhueta do Robalo ao cimo da água não enganavam. Ali estava a minha primeira captura. Que felicidade, que sensação, que adrenalina ! Seguiu-se o momento em que « voltei a ser criança ». Sim, chamei pelo meu pai e disse-lhe « pai tenho aqui um peixe », com um enorme sorriso, que foi correspondido com outro enorme sorriso. Concentrado no peixe e na alegria dos « olhos do meu pai », e com a adrenalina á mistura, nem reparei numa pedra que estava atras de mim e que me fez perder o equilibro e cair na areia. Por momentos pensei, « la se foi o meu Robalo ». Mas ele estava bem ferrado. Robalo fora de agua, e após a felicitação do meu pai e feitas as medidas,o meu primeiro Robalo tinha 39cm. Imediatamente dei a minha amostra de sucesso ao meu pai, pois agora era a vez dele, e talvez ela também lhe desse sorte. Mas apesar da insistência, tal não aconteceu. Ficará certamente para a próxima, quem sabe já no torneio. As bases estão lançadas. Agora venha o torneio dia 22/5/2016…

PS: Pena o meu irmão Tiago Almeida não ter podido estar presente…

O dia em que apanhei o meu primeiro Robalo:

O meu pai tentar a sua sorte…

Ficha Técnica :
Cana : Barros Stout Spinning 2.70m
Carreto : Shimano Exage 4000FD
Multi/Mono : Daiwa J-Braid 0.20/ Fluorocarbono Barros Titanus 0.35
Amostra : Swat Shad 11cm 20gr

Facebooktwittergoogle_plus

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *