Novembro 2012

Adeus Malapata

por José Belo » 04 nov 2012, 17:20

Na Sequência do desafio lançado pelo Eduardo e apesar das previsões meteorológicas serem adversas, a vontade de ir à pesca com os amigos falou mais alto e lá fomos nós. Às 10h30m da manhã lá estávamos nós a chegar à Foz do Arelho, tal como previamente combinado com o Gonçalo. Caía uma chuva miudinha, o vento era fraco e o mar apesar de bem mexido deixava pescar. Andámos por ali cerca de 2 horas a lançar zagaias, vinis e outras amostras pesadas e lançadoras, mas sem sinal de peixe. À volta para os carros ainda andámos ali a brincar com umas tainhas mas como a fome apertava fomos à esplanada comer umas belas bifanas. A conversa estava tão boa quanto as cervejas, aliás esta equipa era capaz de estar a conversar semanas a fio sem haver momentos entediantes, mas decidimos ir ver se dava para pescar para os lados de Peniche.

Pelo caminho voltámos a apanhar alguma chuva mas nada que nos desmotivasse de continuar o sábado de pesca. Fomos logo directos ao local onde o Simões teve a odisseia do mergulhão pois sabíamos que o João Rico já lá estivera pela manhã, pelo que deveriam estar reunidas condições razoáveis para fazer uns lançamentos. O céu estava escuro, mas a chuva parou e não havia sinal de vento. Aliás, daí em diante a tarde esteve sempre muito amena. O mar estava com um aspecto maravilhoso, com vaga grande mas a rebentar bem fora o que nos proporcionava uns belos espumeiros à nossa frente. Começámos a lançar logo ali de frente e fomos descendo à medida que a maré ia enchendo e a rebentação já nos começava a trazer mais do que salpicos (o Gonçalo que o diga pois ainda fez um bocadinho de bodybord em cima das rochas, mas sem prancha).

esplanada

Já ali estaríamos há cerca de uma hora, e perto das 16.00 horas sinto uma valente cabeçada na amostra mas o peixe não ferrou. Fiquei com as pernas a tremer e fiz sinal ao pessoal de que tinha tido um ataque. Uns perceberam, outros não, mas lá foram vindo para a minha zona. Mais uns 5 ou 6 lançamentos e sinto uma pancada violenta na amostra e a cana a vibrar com a genica que o peixe imprimia na extremidade da linha. Percebia que era um bom peixe, maior do que aquele que eu tinha imaginado para o meu baptismo. A luta não foi longa, tinha o drag um bocadinho mais aberto que que deveria estar, mas como a ferragem foi ali próxima e estava bem feita, em pouco tempo estava nas pedras.

O pessoal veio logo em meu auxilio, o Simões emprestou me o grip (coisa que há tempos não me lembrava de levar comigo) e o Pedro desferrou o peixe da amostra, ferrou uma fateixa na luva, o peixe voltou a cair nas pedras e teve ali um momento que esteve mais perto da água do que de nós… com alguma dificuldade lá o cobrámos. Ai sim, as minhas pernas tremiam, o coração batia a mil, estava numa felicidade que tinha alguma dificuldade em conter, mas que era muito mais semelhante a satisfação e à sensação de realização do que propriamente com euforia.

jose_belo_robalo1

jose belo robalo2

Sempre fui um apaixonado pela pesca e como muitos sabem, desde que conheci o spinning e consequentemente o PCA, o que fará 2 anos em Janeiro próximo, a minha única captura tinha sido uma cavala, fez em Maio um ano…Verdade que este ano contam-se pelos dedos as minhas idas ao mar, umas em ambiente PCA onde tenho mais tendência para conversar do que para pescar e as outras em Julho em plena praia, mais para fazer o gosto ao dedo do que na expectativa de enganar algum peixe. Foi sem dúvida um ano que me dediquei mais ao achigã, provavelmente pelo desgaste emocional que uma camioneta de grades ao robalo trazem à cabeça duma pessoa. Terei tido momentos de pouca confiança no spinning de mar, sem querer com isso dizer de forma alguma que cheguei a andar desanimado…Foi desta vez e passado tanto tempo que fui agraciado com a minha estreia com um robalo, e tive a sorte de o fazer com um bonito exemplar.

Não lamento nem nunca lamentei a falta de sorte pois sabia que o meu dia havia de chegar. Era só uma questão de esperar pacientemente, de nunca deixar de insistir e de continuar a viver o spinning de mar de forma apaixonada. Este tempo de espera, fizeram com que este momento tenha tido um sabor tão especial tão especial, que nunca o esquecerei, por mil anos que vivesse. Lamento profundamente não ter podido devolver o peixe à agua, como sempre me tinha prometido, mas infelizmente, e foi do consenso geral de quem assistiu e me ajudou na cobrança, de já não teria condições de sobreviver. No entanto e como evito todo o tipo de fundamentalismos não deixei que isso me estragasse este momento precioso. Lembrei-me mais tarde, quando estávamos a saborear umas minis fresquinhas numa esplanada perto do pesqueiro, que havia sido precisamente naquele local que eu, 2 anos antes, tinha feito os meus primeiros lançamentos ao spinning. A vida tem coisas…

Dedico este momento a todos aqueles que aturam a minha paixão pela pesca com amostras e que me estimulam a nunca desistir, desde a minha família, à família PCA e aos meus amigos que não querendo saber de pesca para nada, mal ou bem têm alguma paciência para me ouvir. Uma palavra especial ao Bruno Martins que previu esta minha estreia e apenas errou por 8 dias. Mas afinal o que é isso em quase dois anos…Obrigado por sentir que torceste por mim, como tantos outros. Outra palavra especial ao Joaquim Nunes que ao me entregar o prémio de participação no Almoço do Torneio me disse em surdina e naquele bom humor que tão bem o caracteriza:“que o teu filho venha a ser melhor pescador que tu”. Apesar de ter gostado da graça, e ter muito gosto de que assim venha a ser, isso mexeu comigo e deu me um animo extra que poderei associar a este momento que vos descrevo. Obrigado ao Eduardo pois não fosse pelo desafio dele tinha ficado no quentinho. E por fim, um agradecimento especial ao Zé Vasco, que se recusou a fazer peripécias das dele e assim “obrigou-me” a animar o dia. Muito, Muito, Muito Obrigado e um grande bem haja a todos.

Ficha técnica
Cana: Shimano Lesath AX Power Game 3.00 mt
Carreto: Shimano TwinPower 5000 FC
Multi: Power Pro 0.18
Amostra: Daiwa Saltiga 17 Electric Sardine
Peixe: Robalo de 55cm e apoucas gramas de 2 kg
Hora: 16H00 e maré quase preia mar

Facebooktwittergoogle_plus

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *