Novembro 2017

De volta à faina

por José Costa» 19 nov 2017, 18:33

Depois de um longo período sem poder pescar, estava na altura de fazer um teste para ver como me sentiria fisicamente. A primeira jornada foi ao nascer do dia e sem grande história para contar, fui fazendo lançamentos atrás de lançamentos durante 1hora. E no final estava “confortável” com o desempenho, sem mazelas devido ao esforço normal desta atividade. A segunda jornada, foi planeada em função das condições meteorológicas e do estado do mar, e a intenção seria começar um pouco antes do nascer do dia, e com duração não superior a 2horas. Pois a regra é, não exagerar.

O mar estava de feição, mexido e com “espumeiros” prometedores. Já depois dos primeiros raios de sol, surgiu o que tanto estava à espera. Uma prisão com cabeçadas no outro lado da linha, e a embraiagem a dar sinais de que o peixe que tinha abocanhado a amostra, era de bom tamanho. Após uma “breve” luta o peixe cedeu à minha ansiedade de o colocar em seco. Momentos depois, pude ver o animal que perdeu a luta contra alguém que tinha mais “armas” que ele.

Se estar novamente à pesca já era uma alegria, posso dizer que fui bafejado pela sorte. Pois em duas jornadas, consegui capturar um peixe de bom tamanho e cheio de energia! Como já tinha 2h10 de faina e uma captura, estava terminada a jornada. E o mais importante, sem grande impacto para o “esqueleto”.

Vamos ver quando será a próxima investida….

Equipamento:
Cana- Daiwa Tournament
Carreto- Cinnetic Crafty CRB4 Hybrid
Amostra- Z-Costa “Caparica PRL”
Linha- Sufix 832 0,18 com baixada Asso Ultra 0,41
Captura- Dicentrarchus Labrax (2,750Kg – 63cm)

Facebooktwittergoogle_plus

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *