Novembro 2016

A Charca em modo pluma
por João Mota» 27 nov 2016, 11:56

Bom dia companheiros!

Passou-se um mês e picos da minha ultima saída de pesca a sério, voltei ontem a esticar linhas, e na boa companhia de confrades que sempre tão bem me receberam ao longo da minha permanência nesta família! Ricardo, Gonçalo e Pedro deixo-vos os meus agradecimentos por me terem proporcionado o dia de ontem, pena o Ricardo e o Gonçalo terem compromissos, não apanharam a chuva…nem os maiores…eheheheh Desde já as minhas desculpas, ficou por tirar a foto de grupo que se impunha.

Bom, continuando, como todos viram fiz um repto a uma saída sem sal e lá se conseguiu combinar uma fugida rápida, para alguns, à tal charca do Ricardo Mayer. Tudo mais ou menos alinhavado na véspera e feita a coisa passamos à acção. Rapidamente me apercebo das diferenças entre o continente e a madeira, temos de nos levantar com as galinhas para ir à pesca e está um frio do caraças! Decididamente não estava habituado!

Saio de Almada e passo pela Cruz Quebrada para levantar a encomenda do Pedro que se apresenta à Crocodile Dundee, mais à frente fica a prova, e siga para o ponto de encontro com o Ricardo e o Gonçalo. À hora combinada, “aproximadamente”, estávamos no sitio e após um cafezinho seguimos para o “ground zero”. Infelizmente o Belo e o Vasco não puderam comparecer.

Á chegada o dia apresentava-se quase soalheiro com tendências chuvosas, o que veio a acontecer, material a postos e siga para o espelho de agua para começar a faina. Mais uma vez as minhas desculpas pois com “cegueira” da primeira experiência plumeira aos basses não tirei fotos nesta altura, não volta a acontecer.

Continuando, não vou tecer muitos comentários técnicos pois sou um completo desconhecedor destes bichos e suas preferências, mas desde já afirmo que têm gostos efeminados como o Gonçalo mostrou com capturas sucessivas de basses palmeiros num vinil cor de rosa…

Quanto à pluma e após experimentar wolly buggers, EP minows e Crazy Charlies, apanhei o primeiro com uma versão de camarão. E mais alguns se seguiram na mesma, todos palmeiros.

O meu primeiro achigã à pluma!!

Infelizmente o Ricardo já não pode testemunhar o momento histórico pois já tinha ido fazer pela vida, e após algumas captura o Gonçalo também seguiu o mesmo caminho deixando-me a sós com o Pedro “Dundee”…e começa a chover. Recolhemos ao abrigo de um eucalipto e lá vai a ideia de irmos experimentar aquele sitio lá no fundo, perto de uns caniços…seguimos.

Á chegada vejo a cor da agua e digo ao Pedro, esta côr de agua não dever ter peixe nenhum…e ao primeiro lançamento ferro um…estão a ver o porquê de não opinar sobre achigans…vai o Pedro tira outro e eu outro maior.

Entretanto tinha parado de chover e o Pedro saca outro.

Já perceberam o Corocodilo Dundee…. E eu saco outro…

E a coisa acalma… O Pedro estava com um lagostim e eu tinha metido um Deceiver vermelho e branco…

Andamos mais um pouco e começamos a lançar para uma mancha escura a cerca de 15mts da margem, talvez um aglomerado de vegetação submersa, e o Pedro descobre por lá o maior da jornada que ainda fez um belo estardalhaço na superfície durante a luta.

Ainda esticamos linhas durante um tempo e demos por concluída a jornada eram 16h, prontos para comer um porco assado…foram só umas bifanas, mas o porco também tinha ido…e zarpamos para casa.

Mais uma vez obrigado a todos! Ficou aberta a pesca continental para mim e da melhor maneira! Venham mais!

Abraço pessoal!

Facebooktwittergoogle_plus

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *