header principal

Antes de o mar virar
por Afonso Gregório » 15 fev 2015, 00:47

Quinta-feira pela manhã, pouco passavas das 7 e eu acordava para mais uma investida, havia que aproveitar os dias em que tenho oportunidade de fazer aquilo que tanto gosto, pescar. Calmamente me levantei, não havia pressas numa manhã que acordara tão fria. Peguei na bolsa, olhei para as amostras e vinis e, do leque das opções, escolhi cuidadosamente. Agarrei a minha ultima aquisição - cana gradeira - e segui rumo ao pesqueiro.
afonso gregorio 1
 
 Assim que comecei a vislumbrar o pesqueiro confirmava-se o que tinha em mente, mar chão, completamente. O sol crescia e o vento, esse amainava, felizmente diga-se! A abordagem e a pesca teriam que ser diferentes do habitual…
 
afonso gregorio 2
 
Desde logo descartei amostras grandes com perfis largos e, até mesmo amostras barulhentas. Sabia que não era o mar mais fácil para fazer peixe, havia que experimentar técnicas diferentes. Peguei num Yum Dinger 6" e fiz uma montagem weightless, apesar de nunca ter feito uma captura no mar com esta montagem, nunca deixei de me sentir tentado a usar nas condições certas. Porque o importante é mesmo isso, adequar a escolha das amostras às condições do pesqueiro. Comecei a lançar, a animar o vinil de forma o mais natural possível, com pequenos toques de ponteira e algumas pausas para o vinil afundar lentamente conforme o rumo da corrente. Estava a gostar da técnica que estava a utilizar e assim, lentamente, continuei a pescar, saltando de pedra em pedra em busca de zonas que me pudessem fazer feliz num dia de condições peculiarmente complicadas! Eis que faço mais um lançamento, vinil disparado para o meio de um aglomerado de pedras. Toques de ponteira… pausa… toque de ponteira… impacto forte, e peixe ferrado! Após umas cabeçadas valentes consegui finalmente deitar mão ao peixe. Segurava nas minhas mãos um lindo robalo:

afonso gregorio robalo 1

Começo de ano
por João Mota » 01 fev 2015, 21:23

Boa noite pescadores,

Venho dar inicio às "istórias" pelos fios de agua desta terra perdida cá para baixo de Ceuta... Já que o ano passado foi uma ano praticamente perdido à custa de um qualquer taxista ilhéu e sua fiel "abelhinha", este ano prometi a mim mesmo ir pelo menos uma vez por semana para não perder predicados e repor os níveis de sanidade no normal...ou pelo menos lá pertinho...Tenho andado ultimamente a experimentar a parte cinematográfica da coisa, mas é uma trabalheira sem precedentes...ou os vídeos não saem bem, ou se saem é o computador que se arrasta a mexer neles...e quando corre tudo quase normalmente é a falta de veia realizadora que atrapalha...ainda assim fica um teste no fim do post para aguçar paladares. Um teste pois tenho também andado a experimentar programas já devo de ir no 4º ou 5º com tudo o que implica mexer neles.

Comecemos então. Há duas semanas fui a um ribeiro de que gosto muito pela beleza envolvente e fartura truteira que quase nunca desaponta, se bem que fui num dia complicado pois tinha chovido durante a noite, o que fez alterar o caudal do ribeiro, cheguei de manha com a agua já a descer e nestes casos as trutas maiores poe-se a fresco...ainda assim fiz umas filmagens interessantes que a seu tempo(assim que domine esta gaita...) revelarei. Na semana passada consegui ir num dia bastante bom, sem vento, sem chuva, e com bastantes insectos, em cada poça maior eram só trutas a saltar, uma delicia para os olhos!! Consegui algumas capturas interessantes, já se sabe que ribeirinhos não dão trutas quileiras(a não ser que se situem lá para a Nova Zelândia)mas muito lutadoras e uma maravilha para pescar com equipamento ligeiro!

Ainda consegui dar um real espalho no meio das pedras e agua...a camera fotográfica ficou em arroz dois dias, parece que recuperou... Sim, tentarei conseguir um espaço para o clip do espalho...ainda assim um belo dia onde só faltou a mesa e cadeiras do belo, a geladeira do Simões(carregada claro!!), torresmos do Ricardo e a malta toda para poder partilhar a beleza da ilha...e algumas ponchas! Ficam algumas imagens e o tal teste em video.

joao mota truta 3