header principal

Há dias incríveis...
por João Duarte» 24 jun 2015, 01:09
 
Boa noite amigos, a minha presença e participação no PCA, tem sido escassa, não por ter deixado de pescar (mas quase), mas porque o pouco tempo que tenho opto por gasta-lo nas duas rodas (mais elementos desta família, certamente que me percebem…). No entanto, faço por me manter actual com as V/ novidades, visitando o fórum com alguma regularidade e marcando presença nos encontros. Bem, conversa a parte, hoje venho aqui relatar um dia para mim memorável. Pelos motivos já referidos e porque nos momentos que estou disponível, o mar não me deixava aproximar, por uma espreitadela no nosso guru, verifico que se aproximava um dia que poderia dar para matar o vício, mas como o amigo Raul Mendes, também estava com saudades de molhar os plásticos, combinamos a nossa investida. Manha cedo, despertador toca, e confesso que a minha vontade de sair da cama era muito pouca, tal o cansaço acumulado… não fosse ter combinado com outra pessoa, certamente não estaria aqui neste momento a escrever. Bem… tralha pronta, pequeno-almoço na barriga (e mais dois na mochila) e siga para a praia. Pelo caminho recebo um sms do Raul que ja estava na praia, a dizer para trazer o sol… Mau! Alem de ter custado sair da cama ainda vou ter de levar com chuva… que se dane, já esta… chegado ao destino, pegar na mobília e siga para o areal… Que saudades ja tinha daquele cheiro a mar, daquela cor do mar esverdeada que sobressaía no negro do céu… lá fomos caminhando e lançando praia fora. Por incrível que pareça, falou-se mais de bicicletas e dietas do que em pesca, mas pronto o aluno sempre foi recebendo umas dicas do professor (o aluno sou eu para que conste) duas horas de caminhada, sem peixe, com uma molha e o estômgo a dar voltas, amigo Raul preciso comer… Assim foi, outro pequeno-almoço para dar forças para o regresso. Barriga composta, reinicio a caminhada e entretanto, o Raul ferra um robalo (quem sabe nunca esquece e ele tinha de vingar-se de tantos verdes que tirei a frente dele na Abertura no Carril. Peixinho de volta ao mar, continuamos a caminhada… não durante muito tempo, eu lanço e logo no inicio da recolha sinto a amostra a prender… Porra! Não queria perder esta… dou um toque de ponteira para perceber se amostra teria mesmo ficado presa em algo e tinha….. ZZZZZZZZZZZZZ… um peixinho na ponta da linha a fazer cantar o stradic, e que peixe… embora não tenha dado grandes corridas mar dentro, as cabeçadas era incrivelmente fortes. Bem… já chega de conversa, vejam com os V/ olhos… Graças ao Raul o momento ficou registado:
 
 
Resta-me agradecer ao Raul pelas dicas para conseguir colocar o peixinho a seco. 
João Baltazar, tens razão as dicas do mestre têm dado resultados.

Ficha técnica:
Robalo 7,150kg; 85cm
Daiwa Infeet
Shimano Stradic
Sufix 832 0,20mm 
Fluor Sufix 0,40mm
LC oil sardine 110

Um abraço a todos e espero que gostem. Este dia ficará gravado na minha memoria e é ao momento, o meu record pessoal.

João Duarte
Em 3 actos
por André Machado» 17 mai 2015, 15:12
 
ACTO 1º

Relatos de pesca sem vídeos tem sido raros por estes lados. Relatos de pescarias no mar idem. Grades sem fim é uma das causas para a 2ª frase. Este ano vinha sendo fraquíssimo em termos de capturas de robalos, no seguimento de um ano de 2014 igualmente fraco. Este ano no currículo tinha apenas um robalo kileiro e dois mikis do tamanho de trutas de ribeiro J, devolvidos claro. Pois bem, as coisas parece que repentinamente mudaram. E é isso que vos venho relatar. Combinei uma saída com o Tozé. O objectivo era o mesmo de dezenas e dezenas de vezes. Fazer o fim da tarde e inicio da noite, com o virar da maré. Atrasamo-nos um pouco à conversa com alguns colegas da borracha que comentavam só terem saído um par de peixes pequenos. Munidos dos nossas Lateos e dos nossos Certates e, apostando nos vinis para variar, lá começamos. Passado pouco tempo, e já de noite, o Tozé diz que sim. Estava ali o primeiro, um peixe já de bom tamanho, que deu uma luta engraçada dada a força do mar. Deveria ter perto do 1,5kg.

Animados pela captura, pensamos logo que andassem por ali. Mas naquele local era filho único. Viramos mais a sul para um pesqueiro que já nos deu várias alegrias e varejámos durante um bom pedaço. Mas a maré ainda não tinha descido o suficiente para chegarmos ao local do crime J. Passado pouco tempo, e já com a maré permitindo pescar onde queriamos, um guloso quis um shot de tequila e pimbaaaaaa, toca de me por à prova. Uma cabeçada e cana toda vergada. Percebi que poderia ser um bom peixe mas não imaginei. Repentinamente, o japonês começa a assobiar, zzzzzzzzzzzzzzz e mais zzzzzzzzzzzzzzzz e mais zzzzzzzzzzzzzz e mais…..caneco, era bicho de respeito certamente. O mar estava forte e foi complicado. A noite escura não deixava ver o peixe. O tozé lá me ia dando indicações. Mantive-me calmo. Momentos antes da captura tinha pedido aos céus um peixinho “engraçado” e estava ali a resposta. A cana e carreto respondiam à altura e passado uns minutos diz o Tozé quando o peixe lhe bate nas pernas: “O que é isto pah??!!!! até me assustei” J. Que grande bicho!

Era um animal imponente. Um robalo lindo, enorme, com uma cabeça e lombo enormes, peixe para mais de 6kg. Eu só dizia: “O que é isto?, Que grande bicho!!!!! “ Entrou num vinil Bexafish Kay Tequila Sunrise, para variar. Confio muito neste vinil para pescar de noite. Esta cor é a que mais capturas me tem dado mas também é a que uso mais J. Fiquei muito feliz com esta captura. Desde Agosto do ano transacto que não tinha uma captura de alguma dimensão. E soube mesmo bem. Com a confiança em alta lá continuámos já na companhia do André Rodrigues e do Alexandre. Repentinamente o Tozé dá de novo sinal e novamente um bom peixe! Dizia ele: “É dos grandes, é dos grandes!”. Realmente a cana toda vergada e o carreto a assobiar confirmavam-no. O peixe tinha força e carregou para sul, o Tozé já não via nada nem ouvia ninguém. Só o peixe lhe importava J. Quase que ia entrando dentro do mar atrás do peixe tal era o entusiasmo. Bom, depois de “subir e descer pela areia” varias vezes lá conseguiu guiar o peixe aproveitando uma onda para o colocar a seco. Era de facto mais um exemplar de respeito. Ligeiramente menor que o peixe anterior mas um peixe espectacular também. A cor Tequila Sunrise continuava a dar frutos ;

toze robalo 1

andre robalo 1

trio robalos

toze andre robalos