header principal

Keep on rising!
por Cláudio Morais » 28 jul 2014, 23:13
 
O dissabor da fuga do artista da última investida estava-me atravessado na garganta. Pensei no que aconteceu, tentei rever tudo e todos os pormenores. Tentei informar-me sobre o mais correcto a fazer e ver o que falhou, o que fiz de certo e errado, onde falhei e o que correu mal. A derrota é algo que ninguém gosta e no que toca à pesca a melhor forma de resolver isto é só uma: voltar ao local e fazer melhor!!Mas agora com uma pequena melhoria... Dito e feito, acordar cedo não custa quando se tem determinação e um simples objectivo. O sol tentava espreitar entre um espesso nevoeiro, mas como podem ver na foto abaixo, era uma tarefa dificil...
 
claudio morais achiga 1
 
Sem vento algum, a água parecia um espelho de calmaria apenas perturbado pelos saltos das irrequietas e energéticas carpas em busca dos seus insectos favoritos. Não hesitei e comecei a minha pescaria com o mesmo de sempre e já grande favorito meu, buzzbait. Naquelas águas calmas apenas se via um trilho de água e bolhas criadas pela hélice. Contava que a curiosidade e fácil irritabilidade dos achigãs fosse um factor a aproveitar... Ao fim de 20 mins de pesca e num cantinho com meia duzia de ervas, tenho um ataque e vi logo.... BOM PEIXE!!!! Ponteira da cana para baixo, tensão na linha constante e sem meiguices tratei de puxar o bicho cá para fora sem moleza!! Uau..... Este sim, é um bom achigã!!!
 
claudio morais achiga 2
Oops, esqueci-me...
por Afonso Gregório » 23 jul 2014, 01:27
 
...foi exactamente o que disse para mim mesmo há um par de dias atrás num acto de conformismo... Na ânsia de sair de casa para pescar, tinha-me esquecido da bolsa na qual carregava as caixas dos hardbaits. Apenas tinha a minha fiel companheira de guerra, a minha matadora, que nunca me deixa ficar mal, que tem o seu lugar reservado num expositor aquando da reforma, montada previamente na cana e, meia dúzia de vinis no fundo da mochila. E para quem não sabe... eu sou um fã incondicional de amostras rígidas... Eis a minha matadora:
 
afonso gregorio achiga 1
 
Mas a pesca é assim mesmo, são os detalhes, os pequenos pormenores, que tornam os acontecimentos memoráveis. Tinha perante mim um desafio que não iria deixar por superar, apesar de sentir que estava condicionado e até um pouco desconfortável com o material que tinha disponível. Rapidamente me fiz ao pesqueiro e comecei a trabalhar paralelo à margem, apostando em estruturas como troncos e vegetação densa. Logo num dos primeiros lançamentos, matadora a passar junto a um tronco, pausa...jerk jerk... deixo a amostra vir um pouco à superfície e... explosão! Assisto em primeira mão a um espetáculo digno desse nome! Ataque falhado, mas já me corria adrenalina por todo o organismo! Continuei a explorar zonas como a da fotografia abaixo, fazendo a amostra passar naturalmente pelo meio da vegetação, como se de um peixe perdido e desorientado se tratasse.